Hipnose Clínica

Sobre Hipinoze

O que é Hipnose?

A hipnose utiliza a técnica de indução do transe, que é um estado de relaxamento semi-consciente, mas com manutenção do contato sensorial do paciente com o ambiente.

O transe é induzido de modo gradual e por etapas, através da fadiga sensorial, que geralmente é provocada pelo terapeuta usando a voz, de forma calma, monótona, rítmica e persistente. Quando o transe se instala, a sugestibilidade do paciente é aumentada; o que requer um elevado nível ético do médico. A hipnose leva então à várias alterações da percepção sensorial, das funções intelectuais superiores, exacerbação da memória (hiperamnésia), da atenção e das funções motoras. Estabelece-se um estado de alteração de estado da consciência, um tipo de estado que simula o sono, mas não o é (a pessoa não “dorme” na hipnose): o eletroencefalograma (EEG) do paciente sob hipnose é de vigília, e não de sono.

A Hipnose otimiza e maximiza os resultados em qualquer tratamento. Sua ação induz a um relaxamento que, sem a necessidade de transes a níveis profundos, tranqüiliza e reeduca o ritmo orgânico, produz saúde e qualidade de vida.

Podemos dizer simplificadamente, que Saúde é o estado de harmonia entre mente, corpo e meio ambiente. O corpo humano, para realizar suas funções e responder aos estímulos vivenciais satisfatoriamente, mantém, naturalmente, um estado permanente de tensão. Contudo, quando essa tensão eleva-se, ocorre o estresse, quando não cuidado pode chegar à depressão, que impede o bom funcionamento do organismo, produzindo doenças, diminuindo a resistência imunológica, gerando desequilíbrio metabólico e acelerando o envelhecimento corpóreo.

Indicações Terapêuticas

O uso da hipnose na psicologia é muito abrangente e atua na luta a diversos males como:

  • Fobias e traumas.
  • Problemas de foro sexual (Impotência Sexual, falta de desejo sexual).
  • Ansiedade, depressão, síndrome do pânico.
  • Insônia e distúrbios do sono.
  • Dependências (Álcool, Fumo, Drogas em geral, inclusive Medicamentos).
  • Compulsividade, desvios comportamentais (obesidade, anorexia, bulimia).
  • Dores crônicas, enxaqueca.
  • Ciúmes e transtornos provocados ou acentuados pelo estresse e um desequilíbrio emocional.
  • Adaptação à meia-idade (crise de meia-idade, síndrome do ninho vazio, síndrome porta giratória, sintomas do climatério).

❖ Encontre-nos